Como fazer um Guia de Conduta?

É comum empresas em crescimento se esforçarem na criação de um guia de conduta(ou mais) interno. Sua função é padronizar o comportamento de colaboradores, suas vestimentas e outras coisas que podem impactar o trabalho diário.

Acontece que se sua empresa não tem um guia de conduta formal, saiba que ela tem um informal.

Normalmente empresas maiores e mais rígidas acabam adotando um guia de conduta, Empresas pequenas e startups costumar vê-lo como algo não adequado e até antiquado. Inevitavelmente se elas não o têm formalmente, acabam se criados regras, normas e costumes de modo informal. Em outras palavras: não tem como fugir disso.

Os esforços para se criar um guia de conduta convergem para um mesmo ponto. O que todas as empresas buscam com isso é criar uma cultura empresarial adequada ao seu negócio. Até mesmo as pequenas empresas e startups precisam concordam com isso.

O que é cultura empresarial?

Cultura empresarial é um conjunto de valores, hábitos e crenças compartilhado por seu integrantes. Ele auxilia na tomada de decisão e no direcionamento das ações de cada um deles.

Quer se aprofundar um pouco mais sobre cultura empresarial? Leia nosso artigo focado nesse assunto.

Um Guia de Conduta é importante?

“É chover no molhado” debater sobre a importância da Cultura Empresarial. Os gestores sabem o quão importante é estarmos em sintonia com nossos liderados, construindo uma cultura saudável para os negócios.

Um Guia de Conduta poderá lhe ajudar a criar e manter uma cultura organizacional adequada para sua empresa.

Para novos colaboradores

Você conhece a história da xícara de café e o conta gotas de leite? Para que os novos membros da sua equipe e a sua formação atual estejam abertos para mudanças causadas pelas contratações, partilhamos com você a analogia seguinte:

Uma empresa é como uma grande xícara de café preto, descafeinado se você preferir. Quando acontece uma nova contratação é como se um pouco de leite fosse acrescentado a essa mistura. Isso gera duas mudanças:

A mais nítida é a união do leite ao café. O profissional que entrou está em um novo ambiente e ali será influenciado e mudará alguns de seu hábitos, rotinas e até mais do que isso, dependendo da equipe e dos relacionamento que ali cultivar.

A outra é a mudança do café. A presença de um novo profissional, com uma nova bagagem, uma nova identidade fazendo parte da equipe, muda também o resto da equipe. Todos se influenciam de alguma maneira e moldam uns aos outros, assim ninguém permanece mais como era antes!

As empresas que não possuem um guia de conduta para direcionar a cultura empresarial sofrerão mudanças a cada nova contratação ou mudança de caráter de seus colaboradores. Como diz na música “… deixa a vida me levar, vida leva eu…”.

Você não precisa esperar acontecer algo de errado para começar a fazer certo.

O que abordar no guia?

Não existe uma receita mágica para se criar um guia de conduta. Cada empresa é única e seus líderes serão as pessoas que direcionarão esse guia.

Os especialistas sabem que a cultura empresarial é altamente influenciada pelas lideranças da empresa. Mesmo quando elas não estão empenhadas em difundir uma cultura, estão fazendo isso.

Por isso é importante que os líderes se reúnem e tracem as diretrizes que irá compor esse guia. Eles precisam realmente acreditar nesse guia e defendê-lo perante toda a organização.

Alguns aspectos importantes para se abordar são:

  • Ambiente de trabalho. Sobre a organização e limpeza. Aspectos físicos importantes do ambiente de trabalho que todos compartilham;
  • Responsabilidade na condução dos negócios. Seus colaboradores assumem responsabilidades? Eles têm autorização para fazer algo ilegal? Parece estranho falar isso, mas na vida empresarial podemos encontrar pessoas antiéticas e corruptas atuando em nome de empresas.
    Você vai querer que algum funcionário seu faça algo ruim em seu nome?
  • Relações comerciais com clientes, fornecedores, concorrentes, poderes públicos, atividades políticas e familiares
  • Pontualidade;
  • Condutas que devem ser evitadas;
  • Informações privilegiadas;
  • Uso do uniforme;
  • Comunicação;
  • Meio ambiente.

Enfim, são vários os aspectos que podem ser abordados em um guia de conduta.

Não se preocupe em abordar de forma perfeita todos os aspectos possíveis e impossíveis. Tenha ciência que um guia de conduta nunca estará pronto. Sempre você fará revisões e melhorias, isso é perfeitamente normal.

Mas se preocupe para que essas diretrizes não fiquem muito bem guardadas em um extenso documento ou até mesmo numa placa na parede.

Mais do que um bom guia de conduta, sua empresa precisa viver, respirar e criar essa cultura organizacional formidável que seu negócio necessita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *