Na gestão de projetos uma coisa que tem se tornado cada vez mais importante é o gerenciamento de riscos, principalmente para organizações que trabalham com vários projetos simultaneamente.

Com isso, os gerentes de projetos precisam avaliar os riscos da melhor maneira possível. E eles são divididos em 2 tipos: risco de impacto positivo e risco de impacto negativo. 

O que é um risco em um projeto?

Conforme falado anteriormente, existem 2 tipos de riscos em projetos o risco de impacto positivo e o risco de impacto negativo.

Os riscos com efeito positivo são as oportunidades dentro do projeto e, os riscos de efeito negativo, são qualquer tipo de ameaça ao projeto. Quando as ameaças não são gerenciadas, elas podem acarretar em vários problemas, como estouro no orçamento, atrasos e até mesmo perda de reputação com o cliente.

Por isso, é importante que o gerente de projetos se programe para evitar que os impactos negativos afetam o projeto. Já os impactos positivos que geram oportunidades, ajudam o projeto a ter uma redução de tempo, melhor desempenho e redução de custo. Por isso que esses aspectos devem ser potencializados.

Quais são as principais fontes de risco?

Existem muitas fontes de riscos para um projeto, abaixo iremos listar as mais comuns:

Falha na Comunicação: Durante o andamento de um projeto, muitas coisas podem dar errado devido a falha na comunicação.

Por conta disso é importante que todos os membros da equipe saibam identificar os riscos e informações do projeto e também estejam sempre atualizados com as novas informações que possam surgir.

Membro da equipe que não está apto: É importante que o gestor conheça todos os membros da sua equipe e saiba das suas características e experiência em projetos anteriores. Caso o colaborador não saiba o que está fazendo, ou não consegue entender os detalhes do projeto, pode ser um risco para o projeto, porque cada colaborador é essencial para a entrega no prazo.

Alterações no Orçamento: Os projetos na maioria das vezes já possuem um orçamento pré-definido que foi desenhado especificamente para ele e, ele pode não ser suficiente. É necessário passar por cima do orçamento, pode ser algo normal para alguns, mas, muito ruim para outros. Como já tinha sido planejado o orçamento, poderá ocorrer reclamações por parte do cliente pela falta de planejamento e, isso pode ser grande um problema.

Equipe diminuir durante o projeto:  Uma coisa que pode acontecer a qualquer momento durante o projeto — ou por qualquer motivo — e, que pode causar conflitos e muito estresse entre a equipe que vão ficar envolvidos no projeto, e o problema só aumenta se essa pessoa é uma peça chave no projeto e isso pode acabar tendo consequências graves para o projeto.

Matriz SWOT

A matriz SWOT foi criada pelo professor Albert Humphrey, de Stanford, na década de 60. Ela consiste na elaboração de uma análise que mapeia 4 categorias de atributos do seu projeto, sendo elas as seguintes:

  • Strenghts (Forças): As forças está relacionado as suas vantagens que a sua empresa possui aos concorrentes no mercado, podemos dizer que são as características que a sua empresa possui que diferencia ela das outras empresas, para ajudar a definir as forças da sua empresa você pode fazer as seguintes perguntas:

 

  • Qual é a sua maior vantagem competitiva perante aos seus concorrentes?
  • Quais são as suas melhores atividades?
  • Qual é o nível de engajamento dos seus clientes?
  • Quais são os seus melhores recursos?

 

  • Weaknesses (Fraquezas): As fraquezas são características da sua empresa que interferem de uma maneira negativa no seus serviços ou no seu produto. Por isso, nessa etapa deve haver muita sinceridade, você pode descobrir as fraquezas da sua empresa fazendo as seguintes perguntas:
  • Existem lacunas no treinamento da sua equipe?
  • A sua mão-de-obra é capacitada?
  • Por que o cliente deixou de contratar você para contratar a sua empresa?
  • Por que o seu engajamento não funciona? 

 

  • Opportunities (Oportunidades):  Sempre que algum fator externo cria um cenário favorável onde a empresa pode se beneficiar representa uma oportunidade, por exemplo uma cidade pequena recebe um evento internacional de vendas para os hotéis da região vai ser uma oportunidade de lucrar naquele período.

 

  • Threats (Ameaças): As ameaças são todos os elementos que podem criar um ambiente desfavorável para a empresa, tudo aquilo que a empresa não tem controle. Por exemplo, uma cidade litorânea que se prepara para a temporada de verão e acaba tendo um desastre natural pouco antes da temporada e, faz com que os turistas desistam de ir até a cidade. Com isso, acaba influenciando diretamente nos comércios da região que contavam com o movimento de fim de ano.

Fatores externos

Os fatores externos estão totalmente fora do controle da organização e, apesar da empresa não ter controle disso, ela deve conhecer para monitorá-lo para que consiga aproveitar oportunidades e evitar ameaças que afetam a empresa.

Fatores internos

Os Fatores Internos é tudo o que pode ser controlado pelos gestores da empresa, os resultados vem de estratégias definidas pelos gestores que devem maximizar o uso de estratégias que tem resultados positivos.

Tipos de Riscos

Os principais riscos mais comuns que um projeto pode enfrentar são os seguintes:

Riscos de planificação

Os riscos de planificação são muito comuns em grandes projetos que possuem muitas particularidades e, muitas vezes, esse projeto pode não sair conforme o que foi planejado inicialmente.

As causas geralmente são relacionados a causas externas como atraso de algum fornecedor de algum provedor externo, acidentes e outros imprevistos que não podem ser controlados por isso é importante ter um planejamento completo que faz a previsão de todos os cenários possíveis.

Riscos de alcance

Conforme um projeto vai se desenvolvendo o seu alcance pode sofrer alterações, devido a sua complexidade e também devido aos clientes ficarem adicionando novos requerimentos ao projeto. Isso pode aumentar o seu alcance. Esse é um risco bem comum devido os projeto sempre terem que se adequar às necessidades do cliente.

Riscos TECNOLÓGICOS 

Ao utilizar softwares ou ferramentas de informáticas inadequadas, vai acarretar em um baixo desempenho da equipe na produtividade, e com isso, atrasar os prazos de entrega.

Riscos Relacionados com Recursos

Os riscos relacionados a recursos  é um dos riscos que o gerente de projeto fica limitado quando acontece algum imprevisto relacionado ao orçamento que foi determinado para o projeto e, dessa forma, o gerente de projeto precisa eliminar tarefas para garantir o que o resultado se cumpra e o projeto tenha êxito.

5 Passos para Aplicar o Gerenciamento de Riscos

Para gerenciar os riscos em projetos é importante seguir um conjunto de etapas para aumentar as chances do projeto ser concluído com sucesso e conseguir minimizar os danos caso algo saia errado, abaixo vou dizer algumas etapas para seguir durante os projetos:

  1. Identifique e qualifique os riscos

Durante o projeto é importante que seja feito o mapeamento dos riscos individuais e gerais do projeto e também as suas características, essa etapa é muito importante pois faz com que a equipe consiga responder de forma rápida a qualquer um dos riscos e conseguir minimizar os danos.

  1. Quantificação de Riscos – Análise quantitativa dos riscos

A quantificação de riscos é o processo de análise numérica dos efeitos dos riscos nos objetivos gerais do projeto, por meio de análises e, com isso, conseguir diminuir a exposição do projeto aos riscos.  

  1. Respostas aos Riscos

Conforme já falado anteriormente saber quais riscos o projeto corre é muito importante e mais importante que saber quais riscos o projeto corre é saber ter respostas a esses riscos  caso algo de errado, no COBIT que é uma estrutura para governança em TI existem algumas boas práticas para lidar com riscos.

No COBIT existem alguma ideias de ações interessante em relação aos riscos: 

  • Mitigação de Riscos: implementação de controles que protejam contra riscos, como por exemplo, implementação de um firewall de segurança;
  • Transferência de Riscos: compartilhar riscos com parceiros ou contratar seguro apropriado;
  • Aceitação  de Riscos: confirmação e monitoração de riscos, e ter um plano de resposta ao risco pronto;

Caso queira saber mais sobre o COBIT acesse o link ao lado.

4. Monitoramento e Controle dos Riscos.

Essa etapa é onde vai ser identificado e acompanhados os riscos e com isso a empresa consegue ter um controle maior dos riscos.

Se você quiser ficar por dentro de conteúdos como este, convidamos a ler o PMBOK e como usar nos projetos da sua equipe. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =