Melhores tipos de contrato empresariais e como gerenciá-los

Melhores tipos de contrato empresariais e como gerenciá-los

Que lucro é importante todos concordam. Empresas que amargam prejuízos sucessivos estão fadadas a quebrar. Como obter acordos lucrativos? Quais são os melhores tipos de contratos empresariais e como gerenciá-los garantindo o retorno financeiro?

Já falamos aqui sobre contratos rentáveis, a importância da precificação correta, além do monitoramento das cláusulas contratuais. A ideia agora é explicar detalhadamente os principais tipos de contratos empresariais, suas vantagens, desvantagens e como gerenciá-los usando um Software Service Desk: TiFlux.

Lucro e crescimento

Lucrar é uma forma de crescer e chegar onde se deseja. A sua empresa pode até ter outros propósitos como ajudar as pessoas, a comunidade ou a natureza, mas é quase impossível atingir esses objetivos sem dinheiro. 

É importante entender em que fase o empreendimento se encontra. Como nós, eles também amadurecem. Dependendo da qual fase ele está, é necessário cuidados específicos para os tombos não encerrarem o que está apenas no início.

É necessário saber precificar os trabalhos oferecidos, de forma que sejam atraentes para o cliente. Entendemos que sem experiência é muito complicado fazer isso, por isso é importante uma consultoria para auxiliar. Se você tem uma empresa de TI, temos um artigo bem explicado sobre como calcular o preço ideal para seus serviços. Também podemos lhe auxiliar com consultoria técnica e especializada no assunto. É só entrar em contato.

Uma das melhores formas de garantir lucros é trabalhar com a previsibilidade da receita. Assim é possível criar projeções e verificar onde ganhar mais e onde cortar gastos. Uma forma para se obter a previsibilidade da receita é utilizar contratos recorrentes.

Horas

Esse é um tipo de contrato administrativo muito utilizado pelo mercado. Nele você define três parâmetros:

  • Limite de horas a ser utilizado pelo cliente dentro de um ciclo (mensal, bimestral, trimestral, semestral ou anual);
  • Valor que o cliente irá pagar por essa quantidade de horas pré-contratadas;
  • Um valor de hora excedente para caso o seu cliente ultrapasse o limite de horas

Prós: a vantagem é que a equipe de TI é remunerada conforme o tempo exigido do atendimento. Além de garantir um mínimo de utilização por parte do cliente, gerando maior previsibilidade da receita.

Para o cliente, também existe uma previsibilidade nas despesas e fica fácil administrar o consumo, pois como não existe diferenciação dos tipos de horas, o cálculo fica simples.

Contras: existem as horas trabalhadas interna, remotas e as externas, quando sua equipe vai ao cliente. Todos nós sabemos que as horas externas são as mais onerosas por conta das logísticas necessárias com deslocamentos.

Mas, quando você fecha um contrato de horas, o valor da hora é o mesmo independente de onde é executado o trabalho e isso pode fazer com que o contrato não seja rentável dependendo do uso por parte do cliente.

Crédito

Nesse tipo de contrato empresarial o cliente contrata um limite de crédito para ser consumido durante o ciclo (mensal, bimestral, trimestral, semestral ou anual) de fechamento e vai pagar um valor por essa quantidade de crédito. 

Ou seja, diferente das horas trabalhadas, aqui são consideradas outras despesas. Essa opção pode ser bem interessante para tratar a diferenciação entre as horas internas, externas e remotas, dando valores diferentes, conforme o uso do cliente.

Prós: da mesma forma que o contrato de horas, o contrato de crédito entrega à empresa de TI uma previsibilidade maior de sua receita garantindo um mínimo de consumo do cliente. E remunerando também a equipe de TI de acordo com o tempo exigido por atendimento.

Aqui é possível cobrar um valor maior pela hora externa e incluir os custos com logísticas. Dessa forma o cliente terá mais cuidado nas suas solicitações, com um consumo consciente.

Você pode, ainda, oferecer uma quantidade maior de crédito para o seu cliente e reduzir o valor por hora. Isso permite que o cliente pague menos pela hora, mas consuma mais horas de seu trabalho, com um valor mais atrativo , gerando lucro para ambos os lados.

Contras: não é possível ofertar um valor da hora excedente diferente, o mesmo valor pré-contratado é o mesmo valor cobrado em caso de exceder o crédito mínimo do ciclo. Por isso cuidado na hora da precificação, para manter uma margem de segurança, mesmo que pequena.

Crédito Compartilhado

Esse tipo de contrato empresarial é como o de crédito com um pequeno adicional.

Em um contrato de crédito, você desconta de acordo com o local de prestação de serviço:

  • Interno
  • Externo
  • Remoto

Em um contrato de crédito compartilhado, além destas três vertentes, é possível cobrar pelo tipo de serviço, por exemplo:

  • Estações de Trabalho
  • Servidores
  • Consultorias Especializadas e etc

Contrato Livre

No contrato livre, o cliente paga um valor fixo mensal e tem atendimento sem limite de horas. Normalmente, o contrato empresarial está indexado a uma quantidade X de equipamentos ou ainda a uma lista de serviços pré-negociados.

Prós: facilidade na administração do contrato, pois o faturamento é sempre o mesmo valor e, por ser pré-negociado, não gera divergências nos faturamentos.

Contras:  consumo de horas discrepante em relação a mensalidade. 

Atenção na hora de fechar contratos administrativos dessa natureza. Existem alguns fatores que contribuem na hora de tomar a decisão. De modo geral, os contratos livres são indicados quando você conhece muito bem a demanda dos serviços e sabe que, salvo exceções, será uma relação equilibrada tanto quanto à oferta como quanto à demanda pelos serviços. 

Contratos livres com um consumo de trabalho desproporcional a mensalidade geram grandes prejuízos ao prestador de serviços, bem como o contrário também é um problema.

Em resumo, é preciso cuidar muito com esse tipo de contrato (Livre), pois precisamos entender muito bem a oferta e demanda para garantir um contrato rentável para ambas as partes.

Produto / SaaS

No contrato produto/SaaS, assim como no contrato livre, tem um valor especificado. Mas, ao invés de definir um valor fixo para o contrato, você pode definir um valor fixo por uma lista de itens.

Por exemplo:

Tipo de contrato empresarial - contrato produto/SaaS

Note que esse tipo de contrato é perfeito quando comercializamos tipos de serviços sob medida para os clientes. Já no momento do cadastro podemos informar um conjunto de itens que compõe a precificação acordada entre ambas as partes.

Entretanto, assim como no contrato livre, é preciso cuidar muito com a oferta e demanda de utilização para ser benéfico para ambas as partes.

Contrato por Atendimento

Em um contrato de atendimento, o cliente paga por ticket/chamado, independente de quantas horas foram gastas. Num primeiro momento, você deve estar se perguntando por que usaria esse tipo de contrato empresarial.

Ele é uma alternativa utilizada em parcerias específicas ou com aluguel de equipamentos. Ou seja, em situações bem pontuais, como, por exemplo:

  • Quando comercializando um software. Mas já sei que a demanda do meu cliente será de uma atualização remota no mês. Sendo que alguns meses pode não ocorrer;
  • Quando alugo um equipamento e já insiro na mensalidade um número máximo de intervenções no período;

No contrato por atendimento é possível definir uma quantidade de tickets/chamados por ciclo e um valor por ticket/chamado excedente.

Contras: às vezes esse tipo de contrato administrativo não vale a pena pois a cobrança será feita por atendimento, caso o cliente tenha equipamentos defasados, um simples atendimento pode consumir uma quantidade de tempo maior do que o esperado, inviabilizando outros atendimentos.

Se a empresa trabalha cobrando por atendimento pode ser que esteja perdendo uma parte do lucro. Então, é importante se atentar ao tempo que o cliente utiliza e analisar se essa é realmente a melhor forma de se trabalhar com ele.

Criatividade na comercialização

Cada tipo de contrato dentro do TiFlux tem uma proposta, mas você não precisa se prender a elas. Você pode utilizar esses contratos para cobrar da sua forma e utilizando a  criatividade. Aqui vão alguns exemplos de utilização criativa dos contratos:

Créditos com cobrança externa 

Vamos supor que você tem um contrato livre no valor mensal de R$ 1.000,00. O que você acha de fazer esse tipo de contrato de uma forma mais criativa?

Já entendemos que as horas externas são as mais caras por conta da logística envolvendo o deslocamento. Que tal seu cliente ter horas remotas e internas livres, mas com um limite nas horas externas? 

Por isso podemos induzir (comercialmente falando) o cliente a usar menos dessa hora fazendo pequenos ajustes em nossa negociação comercial. Vamos usar para isso o contrato de crédito. Note abaixo como ficaria no cadastro do contrato:

tipo de contrato empresarial no TiFlux

Com o valor da hora remoto/interno sendo zero, o cliente vai ter infinitos atendimentos interno/remoto, por um valor fixo mensal (neste caso R$ 600,00) e vai ter um crédito um pouco menor (R$ 400,00, parte do total de R$ 600,00) para utilizar o atendimento externo.

Quando o cliente utilizar o atendimento externo, nesse exemplo ele terá 8 horas para utilização (que será abatido dos R$ 400,00 de crédito). Caso ele exceda será cobrado um valor extra de R$ 50,00 por hora utilizada. Uma pequena taxa mas que é suficiente para que o cliente cuide com as solicitações presenciais.

Analise que, nesse caso, o cliente tem chamados e horas ilimitadas para atendimentos remotos e internos, limitando apenas o consumo de horas externas. Isso torna o contrato mais atraente para sua empresa e também para o cliente, de uma forma criativa.

Com isso pode-se baratear o valor final ao cliente, sem deixar o contrato onerar demasiadamente sua empresa.

Valor de hora adicional maior do que a hora pré-contratada

Essa é uma prática muito comum de mercado. Quando o cliente contrata o valor pré-fixado é mais barato que o valor do excedente. Essa prática está baseada na previsibilidade da receita que para nós prestadores de serviços é algo importante.

Por isso você pode comercializar as horas pré-contratadas mais baratas. Caso o cliente exceda, o valor é maior. Dessa forma, se o cliente habitualmente consome mais, ele fará uma renegociação para pré-contratar mais horas de você.

tipo de contrato empresarial no TiFlux

No exemplo da imagem, colocamos um valor mensal de R$ 1.000,00 para 10 horas de serviço, totalizando um valor de R$ 100,00 por hora. Caso seja consumido mais do que 10 horas, a prestadora de serviço começa a faturar R$ 140,00 por hora utilizada excedente, um aumento de 40% em relação a hora pré-contratada.

Contratos no TiFlux

Esses são pequenos exemplos de como podemos usar dois contratos tipos e contratos empresariais no TiFlux de forma distinta e criativa para induzir nossos clientes a um consumo que seja bom para ambos os lados.

O TiFlux é um excelente gestor de contratos de serviços e está apto a gerir vários tipos de contratos. Por isso é importante você verificar qual tipo de contrato empresarial é o mais adequado para o seu negócio e utilizar a plataforma para gerenciá-los.

Lembrando que, basicamente, os contratos feitos via TiFlux são uma representação da negociação comercial feita entre você e seu cliente.

Se você tiver dúvidas na hora de configurar os contratos ou, ainda, se quiser mais dicas de formas de comercializar seus serviços, conte com nosso time de atendimento. Estamos aqui para ajudar sua empresa.

Conte sempre com o TiFlux para gerenciar seus contratos e usufrua de diversas ferramentas que vão te auxiliar! Desde o faturamento até relatórios para verificar o consumo desses contratos, dessa forma você vai obter resultados sensacionais! =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + 3 =